Método de avaliação do potencial de contaminação dos mananciais de abastecimento por agrotóxicos no município de Juiz de Fora (Minas Gerais)

Matheus Bertolino Motta, Luan Carlos Octaviano Ferreira Leite, Renata de Oliveira Pereira

Resumo


DOI

R E S U M O
A agricultura é uma importante atividade econômica para o Brasil e seus impactos ambientais devem ser gerenciados adequadamente. Os agrotóxicos estão entre os principais efluentes do setor agrícola e podem afetar significativamente a qualidade da água de consumo humano. A Portaria 888 de 2021 do Ministério da Saúde, prevê o monitoramento de agrotóxicos na água conforme características das bacias hidrográficas, das culturas agrícolas e sua sazonalidade e também o comportamento destes compostos. Desta forma, o estudo buscou propor um método para identificar os principais ingredientes ativos potencialmente contaminantes dos mananciais usando como estudo de caso a cidade de Juiz de Fora – MG. O método empregado foi dividido em quatro etapas, a primeira buscou identificar as principais culturas agrícolas do município e seus ingredientes ativos com uso permitido em Minas Gerais. A segunda etapa foi uma avaliação de dinâmica ambiental dos ingredientes ativos pré-selecionados, identificando aqueles com maior risco de contaminação dos mananciais. No terceiro, realizou-se uma contextualização do uso de agrotóxicos nas bacias dos mananciais do município e a última etapa uma comparação dos ingredientes ativos prioritários com os parâmetros de qualidade da água previstos pela legislação. Um total de 42 culturas foram consideradas relevantes para o município, tendo sua produção representada, principalmente, por lavouras temporárias. Quanto aos ingredientes ativos, existem 60 com uso autorizado para as culturas agrícolas selecionadas, contudo, apenas 40 foram considerados prioritários após a avaliação da dinâmica ambiental. Destes, 15 compostos estão contemplados na Portaria n° 888 de 2021. Os resultados obtidos podem ser utilizados como subsídio para um monitoramento mais assertivo de agrotóxicos no município de Juiz de Fora.
Palavras-Chaves: Defensivos Agrícolas, Legislação, Qualidade da Água, Meio Ambiente.
Method for assessment of the potential for contamination of supply sources by pesticides in the city of Juiz de Fora (Brazil)
A B S T R A C T
Agriculture is an important economic activity for Brazil and its environmental impacts must be managed; Pesticides are among the main effluents from the agricultural sector and can affect the quality of water for human consumption. Ordinance 888 of 2021 of the Ministry of Health, provides for the monitoring of pesticides in water according to characteristics of river basins, crops, and their seasonality, and also the behavior of these compounds. Thus, the study sought to propose a method to identify the main potentially contaminating active ingredients in water sources using as a case study the city of Juiz de Fora – MG. The method used was divided into four stages, the first seeks to identify the main crops in the municipality and their active ingredients with the permitted use in Minas Gerais. The second stage was an environmental dynamics assessment applied to the pre-selected active ingredients, identifying those with the greatest risk of contamination of the water sources. The third, there was a contextualization of the use of pesticides in the basins of the city's water sources and the last stage a comparison of the priority active ingredients with the water quality parameters resulting from the legislation. A total of 42 crops were considered relevant in the municipality, with their production represented mainly by temporary crops. As for active assets, there are 60 with authorized use for selected crops, however, only 40 were considered a priority after the assessment of environmental dynamics. Of these, 15 compounds are included in Ordinance No. 888 of 2021. The results obtained can be used as support for the more assertive monitoring of pesticides in the municipality of Juiz de Fora.
Keywords: Agricultural Chemicals, Legislation, Water Quality, Environment.


Palavras-chave


Defensivos Agrícolas; Legislação; Qualidade da Água; Meio Ambiente.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária (2010). Nota sobre o uso de agrotóxicos em área urbana. Brasília, DF. Disponível em: <(Microsoft Word - Nota para o Site Sobre Capina Qu355mica em 301rea Urbana Revista.doc) (www.gov.br)>. Acesso em: 24/09/2021.

Aquino, S. F.; Brandt, E. M. F.; Chernicharo, C. A. L. (2013). Remoção de fármacos e desreguladores endócrinos em estações de tratamento de esgoto: revisão da literatura. Engenharia Sanitária e Ambiental, 18 (3),187-204.

Benini, R. M.; Mediondo, E. M. (2015). Urbanização de impactos no ciclo hidrológico da bacia do Mineirinho. Floresta e Ambiente. 22(2), 211-222.

Brandford, P. R., Jackson, M.; Rhodes, J. Identification of Pesticides with a Low Risk of Leaching to Groundwater. Knaresborough: Agência Dinamarquesa de Proteção Ambiental, 2018.

BRASIL (2020). SISAGUA - Amostras de Vigilância. Programa Nacional de Vigilância em Qualidade da Água de Consumo Humano. Disponível em: . Acesso em: 30/06/20.

BRASIL. Lei no 7.802, de 11 de julho de 1989, que dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7802.htm >. Acesso em: março/2021. 2002.

BRASIL. Lei Nº 9.433, de 08 de janeiro de 1997 que institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9433.htm >. Acesso em: março/2021. 1997.

BRASIL. Portaria de Consolidação nº 5, de 28 de setembro de 2017 que dispõe sobre a consolidação das normas sobre as ações e os serviços de saúde do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Disponível em: < https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/marco/29/PRC-5-Portaria-de-Consolida----o-n---5--de-28-de-setembro-de-2017.pdf >. Acesso em: janeiro/2021. 2017.

BRASIL. Portaria GM/MS Nº 888 que altera o Anexo XX da Portaria de Consolidação GM/MS nº 5, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Acesso em: julho/2021. 2021.

CESAMA – Companhia de Saneamento Municipal (2020). Mananciais. Disponível em: < http://www.cesama.com.br/mananciais/ >. Acesso em: 07/08/20.

Faria, A. L. L.; Silva, J. X.; Goes, M. H. B. (2003). Análise Ambiental por Geoprocessamento em Áreas com Susceptibilidade à Erosão do Solo na Bacia Hidrográfica do Ribeirão Espírito Santo, Juiz de Fora (MG). Caminhos de Geografia, 4 (9), p. 50-65.

Ferruzzi, G.; Gan, J. (2004). Pesticide Selection to Reduce Impacts on Water Quality.Universidade da Califórnia, Divisão de Agricultura e Recursos Naturais. Disponível em: . Acesso em: 30/06/20.

Fuher, G. J.; Morace, J. L.; Johnson, H. M.; Rinella, J. F.; Ebbert, J. C.; Embery, S. S.; Waite, I. R.; Carpenter, K. K.; Wise, D. R.; Hughes, C. A. (2004). Water Quality in the Yakima River Basin, Washington, 1999-2000. Virgínia, VA: Pesquisa Geológica dos Estados Unidos.

Goss, D. W (1992). Screening Procedure for Soils and Pesticides for Potential Water Quality Impacts. Weed Technology, 6, p. 701-708.

Gustafson, D. I. (1989). Groundwater ubiquity score: a simple method for assessing pesticide leachability. Environmental Toxicology And Chemistry, 8 (4), p. 339-357.

IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (2018). Boletins Anuais de venda. Disponível em: . Acesso em: 08/08/20.

IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (2016). Relatórios de comercialização de agrotóxicos. Disponível em: < http://www.ibama.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=594 >. Acesso em 15/07/21.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2020a). Censo 2010. Disponível em: < https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/mg/juiz-de-fora.html >. Acesso em: 20/07/20.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2020b). Censo Agropecuário 2017. Disponível em: < https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-2017 >. Acesso em: 20/07/20.

IMA – Instituto Mineiro de Agropecuária. Agrotóxicos Aptos para Comercialização no Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: Minas Gerais. Disponível em: < http://ima.mg.gov.br/sanidade-vegetal/agrotoxicos >. Acesso em: 15/09/20.

IUPAC – União Internacional da Química Pura e Aplicada. General chemical properties related to environmental fate. Disponível em: < http://sitem.herts.ac.uk/aeru/iupac/docs/2_3.pdf >. 2020b Acesso em: 06/08/20.

Kenny, L. B.; Westendorf, M.; Williams, C. A. (2019). Managing Manure, Erosion, and Water Quality in and Around Horse Pastures. In: Horse Pasture Management. Sharpe, P. Elsevier. https://doi.org/10.1016/B978-0-12-812919-7.00014-7

Kerle, E. A.; Jenkins, J. J.; Vogue, P. A. (2007). Understanding Pesticide Persistence and Mobility for Groundwater and Surface Water Protection. Universidade do Estado de Oregon. Disponível em: Acesso em: 30/06/20.

Lara, S. S.; Pignati, W. A.; Pignatti, M. G.; Leão, L. H. Da C.; Machado, J. M. H (2019). A Agricultura do Agronegócio e sua Relação com a Intoxicação Aguda por Agrotóxicos no Brasil. Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, 15 (32), p. 1-19.

Leite, L. C. O. F.; Rocha, C. H. B. (2018). Monitoramento da alteração da paisagem florestal entre 2004 e 2018 no município de Juiz de Fora, MG – Brasil. Geofronter, 6, 01-20.

MAPA – Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (2021). Sistema AGROFIT. Disponível em: < http://agrofit.agricultura.gov.br/agrofit_cons/principal_agrofit_cons > Acesso: 15/01/21.

MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2020). Portal de Dados Abertos Sobre Agrotóxicos. Disponível em: . Acesso em: 30/06/20.

Moraes, R. F. (2019). Agrotóxicos no Brasil: Padrões de uso, política da regulação e prevenção da captura regulatória. Textos para Discussão, Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.

Nowell, L. H.; Moran, P; M.; Bexfield, L. M.; Mahler, B. J.; Metre, P. C.; Bradley, P. M.; Schimidt, T. S.; Button, D. T.; Qi, S. L. (2021). Is there an urban pesticide signature? Urban streams in five U.S. regions share common dissolved-phase pesticides but differ in predicted aquatic toxicity. Sciense of Total Environment, 793, 148453. https://doi.org/10.1016/j.scitotenv.2021.148453

NPIC -National Pesticide Information Center. Pesticide Products. Disponível em: < http://npic.orst.edu/ >. Acesso em: 15/07/20.

Oliveira, M. (2018). Limnologia da Paisagem com uso de Regressão Geograficamente Ponderada: estudo da qualidade da água na represa de Chapéu D’Uvas, MG. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil.

PAN – Pesticide Database. Disponível em: < http://www.pesticideinfo.org/ >. Acesso em: 10/07/20.

Pignati, W. A.; Lima, F. A. N. S.; Lara, S. S.; Correa, M. L. M.; Barbosa, J. R.; Leão, L. H. C.; Pignatti, M. G. (2017). Distribuição espacial do uso de agrotóxicos no Brasil: uma ferramenta para a vigilância em saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 22 (10), p. 3281-3293.

PJF – Prefeitura de Juiz de Fora (2020). Sistema Municipal de Planejamento do Território. Disponível em: < https://www.pjf.mg.gov.br/desenvolvimentodoterritorio/dados/index.php >. Acesso em: 10/06/20.

Portugal, T. R.; Silva, L. M. C. (2020). Análise do aumento dos registros de agrotóxicos e afins e as consequências para os recursos hídricos. Brazilian Journal of Animal and Environmental Research, 3 (3), p. 1183-1196. http://dx.doi.org/10.34188/bjaerv3n3-037.

Rao, P. S. C.; Hornsby, A. G. (1993). Behavior of Pesticides in Soils and Water. Instituto de Ciências Agrárias e Alimentares, Universidade da Florida. Disponível em: . Acesso em: 30/06/20.

Rocha, C. H. B.; Casquin, A. P.; Silva, T. M.; Freitas, F. A.; Pereira, A. M.; Paula, I. F. M.; Neto, J. O. (2018). Dinâmica de parâmetros limnológicos e uso e cobertura da terra nas bacias hidrográficas das represas Dr. João Penido e São Pedro, Juiz de Fora (MG). Principia: Caminhos da Iniciação Científica, 18 (1), p. 11-21. http://dx.doi.org/10.34019/2179-3700.2018.v18.29780.

Rogers, H. R. (1996).Sources, behavior and fate of organic contaminants during sewage treatment and in sewage sludges. The Science of the Total Environment, 185 (1-3), 3-26.

Sheldon, F.; Leigh, C.; Neilan, W.; Newham, M.; Polson, C.; Hadwen, W. (2019). Urbanization: hidrology, water quality, and influences on ecosystem health. In: Approaches to Water Sensitive Urban Design. Sharma, A. K.; Gardner, T.; Begbie, D. Elsevier. https://doi.org/10.1016/C2016-0-03594-5

Soares, A. F. S. (2011). Uso de Agrotóxicos, Contaminação de Mananciais e Análise da Legislação Pertinente: Um Estudo na Região de Manhuaçu – MG. Tese de Doutorado. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Tambosi, L. R.; Vidal, M. M., Ferraz, S. F. B.; Metzger, J. P. (2015). Funções eco-hidrológicas das florestas nativas e o Código Florestal. Estudos Avançados, 29 (84), 151-162.

Vieira, M. G.; Steinke, G.; Arias, J. L. O.; Primel, E. G.; Cabrera, L. C. C. (2017). Evaluation of Pesticide Contamination in the Water Sources of Southwest Parana Cities. Revista Virtual de Química, 9 (5), p. 1800-1812. http://dx.doi.org/10.21577/1984-6835.20170105.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Matheus Bertolino Motta, Luan Carlos Octaviano Ferreira Leite, Renata de Oliveira Pereira

Revista Brasileira de Meio Ambiente | ISSN: 2595-4431

CC-BY 4.0 Revista sob Licença Creative Commons
Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn