Avaliação da presença de resíduos de piretróides em amostras de água, sedimento e pescado na Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí (Rio Grande do Sul)

Gabriela Böhm Milani, Lenise Guimarães de Oliveira, Juliane Bühler, Marlon César Maciel Guimarães, Fabio Ferreira Gonçalves

Resumo


DOI

R E S U M O

Atualmente, o Brasil está entre os maiores consumidores de agrotóxicos do mundo e os corpos hídricos estão constantemente sendo contaminados. Os piretróides surgiram no início da década de 1980 como alternativa aos de maior potencial tóxico uma vez que apresentavam baixa toxicidade aguda em mamíferos, não se acumulavam nos tecidos adiposos e não seriam persistentes no meio ambiente, mas quando misturados a outro agrotóxico, potencializam sua ação e permanência no ambiente. O objetivo deste trabalho foi avaliar a presença de até 17 contaminantes em amostras de água, sedimento e peixes coletados na Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí (BHRT). Os resíduos de piretróides foram determinados usando espectrometria de massa de cromatografia gasosa, o método HF-LPME foi usado para determinação em sedimentos e peixes. Foram coletadas 225 amostras (109 de água, 98 de sedimento e 18 de peixes). Foram obtidas 24 amostras com resíduos de piretróides (14 de água, 6 de sedimento e 4 de peixe) acima do limite de detecção dos métodos, com 19 amostras acima do limite de quantificação (13 de água, 2 de sedimento e 4 de peixe). Maiores concentrações foram observadas nas amostras de peixes, como esperado devido às características físico-químicas desses compostos. Embora a frequência de detecção tenha sido baixa, esses resultados indicam que há potencial para o transporte de piretróides utilizados na BHRT e seus afluentes atingindo os corpos d’água.

 

Palavras-Chaves: Piretróide, Água, Sedimento, Peixe, Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí.

 

 

Evaluation of the presence of pyrethroid residues in water, sediment and fish samples in the Tramandaí River Basin (Brazil)

 

A B S T R A C T

Currently, Brazil is among the largest consumers of pesticides in the world and water bodies are constantly being contaminated. Pyrethroids emerged in the early 1980s as an alternative to those with greater toxic potential, since they had low acute toxicity in mammals, would not accumulate in adipose tissues and would not be persistent in the environment, but when mixed with another pesticide, potentiate their action and permanence in the environment. The objective of this work was to evaluate the presence of up to 17 contaminants in water, sediment and fish samples collected in the Tramandai River Basin. Pyrethroid pesticide residues were determined using gás chromatography mass spectrometry, the HF-LPME method was used for pyrethroids determination in water samples and a modified QuEChERS method was used for pyrethroids determination in sediments and fish. A total of 225 samples were collected (109 of water, 98 of sediment and 18 of fish). 24 samples were obtained with pyrethroids residues (14 of water, 6 of sediment and 4 of fish) above the detection limit of the methods, with 19 samples above the quantification limit (13 of water, 2 of sediment and 4 of fish). Higher concentrations were observed in fish samples, as expected due to the physicochemical characteristics of these compounds. Although the detection frequency was low, these results indicate that there is potential for the transport of pyrethroids used in the Tramandai River Basin and its tributaries reaching water bodies.

 

Keywords: Pyrethroid, Water, Sediment, Fish, Tramandai River Basin.


Palavras-chave


Piretróide, Água, Sedimento, Peixe, Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


AERU. AGRICULTURE & ENVIRONMENT RESEARCH UNIT (AERU) University of Hertfordshire. Pesticides Properties Database. Disponível em: . 2021.

Alonso et al. Pyrethroids: A new threat to marine mammals? Environment International, 47, 99-106. https://doi.org/10.1016/j.envint.2012.06.010. 2012.

ANA. Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. Atlas Irrigação. Uso da água na agricultura irrigada. In Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. 2021.

Anastassiades et al. Fast and easy multiresidue method employing acetonitrile extraction/partitioning and “dispersive solid-phase extraction” for the determination of pesticide residues in produce. Journal of AOAC International, 86, 412-431. 2003.

ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Monografias de agrotóxicos autorizadas - Anvisa. Disponível em:< https://www.gov.br/anvisa/pt-br/setorregulado/regularizacao/agrotoxicos/monografias>. Acesso em: 23 jan. 2022.

Arisekar et al. Accumulation of organochlorine and pyrethroid pesticide residues in fish, water, and sediments in the Thamirabarani river system of southern peninsular India. Environmental Nanotechnology, Monitoring & Management, 11, 100194. 2019.

BRASIL, M. da S. Portaria no 2.914, de 12 de dezembro de 2011 Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Brasília, 2011.

BRASIL, M. da S. Portaria no 888/2021, de 4 de maio de 2021. Altera o Anexo XX da Portaria de Consolidação GM/MS nº 5, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade Brasília, 2021.

Bühler, J. Desenvolvimento de Método para Determinação de Agrotóxicos e Medicamentos Veterinários em Água Superficial por Microextração em Fase Líquida com Fibra Oca (HF-LPME) e GC-MS. Dissertação de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Química Técnológica e Ambiental (PPGQTA). Universidade Federal de Rio Grande. 2018.

Carneiro et al. Dossiê Abrasco: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Rio de Janeiro: EPSPV; São Paulo: Expressão Popular; 2015.

Castro, D. ; Rocha, C. M. Qualidade das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí. Porto Alegre: Via Sapiens, 2016.

Corcellas et al. First report of pyrethroid bioaccumulation in wild river fish: A case study in Iberian river basins (Spain). Environment International, 75, 110-116. https://doi.org/10.1016/j.envint.2014.11.007. 2015.

European Commission. (SANTE/11813/2017). Guidance document on analytical quality control and method validation procedures for pesticides residues analysis in food and feed. European Commission Directorate-General for Health and Food Safety. https://ec.europa.eu/food/sites/food/files/plant/docs/pesticides_mrl_guidelines_wrkdoc_2017-11813.pdf. 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Agro 2017. . 2017.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Atlas de Saneamento. 2011.

Langford et al. Do antiparasitic medicines used in aquaculture pose a risk to the Norwegian aquatic environment? Environmental Science & Technology, 48, 7774-7780. https://doi.org/10.1021/es5005329. 2014.

Ma, X. Research progress on analytical technique of pyrethroid pesticide residue. Journal of Anhui Agricultural Sciences, 28, 13775-13777. 2009.

Oliveira et al. Development and validation of a method for the analysis of pyrethroid residues in fish using GC-MS. Aceito para publicação na Food Chemistry em 3 de jun. 2019.

PARA. Programa de Análise de Registro de Agrotóxicos. http://portal.anvisa.gov.br/programa-de-analise-de-registro-de-agrotoxicos-para. 2019.

Petersen, B. C. Avaliação da qualidade do pescado da lagoa Tramandaí/RS. Trabalho apresentado no 10º Simpósio Internacional de Qualidade Ambiental. 2016. Disponivel em: < http://www.abes-rs.uni5.net/centraldeeventos/_arqTrabalhos/trab_20160902101515000000593.pdf>. Acesso em: 04 de fev. 2022.

Prestes et al. O estado da arte na determinação de resíduos de medicamentos veterinários em alimentos de origem animal empregando técnicas cromatográficas acopladas à espectrometria de massas. Quim. Nova, v. 36, n. 5, p. 697-710, 2013.

Rubbo, J. C. Avaliação dos controles de agrotóxicos na água para consumo humano dos sistemas de abastecimento de água do Rio Grande do Sul em 2016. Escola de Saúde Pública do Estado do Rio Grande do Sul. 2017.

SEMA. NOTA TÉCNICA no 003/2020/DIPLA/DRHS. Cálculo da população das bacias hidrográficas no Estado do Rio Grande do Sul. 2020.

SES-RS, Secretaria de Estado da Saúde do Rio Grande do Sul. Portaria no 320/2014. Estabelece parâmetros adicionais de agrotóxicos ao padrão de potabilidade para substâncias químicas, no controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano no RS. Diário Oficial, Porto Alegre, 2014.

SIGA. Sistema Integrado de Gestão de Agrotóxicos. Dados de 2018 e 2019 sobre comércio de agrotóxicos no estado do Rio Grande do Sul, por municípios, em kgs de ingrediente ativo. 2020. Disponível em: . Acesso em: 01 ago. 2020.

Silveira, R. A. Variação temporal e espacial da assembleia de peixes na Laguna Tramandaí, RS. Dissertação – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Imbé, 2013. Disponível em: < http://www.bibliotecadigital.ufrgs.br/da.php?nrb=000894692&loc=2013&l=abae1b1d375b1a45>. Acesso em: 04 de fev. 2022.

STE S.A. Diagnóstico consolidado da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí – relatório técnico 3 do Plano da bacia. Canoas, RS. 2019

Tang et al. Pyrethroid pesticide residues in the global environment: An overview. Chemosphere, 191, 990-1007. https://doi.org/10.1016/j.chemosphere.2017.10.115. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Gabriela Böhm Milani, Lenise Guimarães de Oliveira, Juliane Bühler, Marlon César Maciel Guimarães, Fabio Ferreira Gonçalves

Revista Brasileira de Meio Ambiente | ISSN: 2595-4431

CC-BY 4.0 Revista sob Licença Creative Commons
Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn