O uso do MapBiomas na análise de perda de vegetação natural e apoio a Legislação Florestal atual em Bragança (Pará)

Felipe Oliveira Ribeiro

Resumo


R E S U M O

 

A defesa do meio ambiente é uma pauta que está sempre em evidência, pois dentro da perspectiva do estado brasileiro a Constituição Federal de 1988 que resguardou a proteção do meio ambiente ecologicamente equilibrado como um direito fundamental, impondo ao Poder Público e à sociedade o dever de preservar e defender o meio ambiente. No processo de ocupação o desmatamento foi o principal vetor das alterações da paisagem na Amazônia, o cenário político-econômico de grandes problemas ambientais, faz-se necessário incentivar a consciência ambiental, que promova a tutela coletiva do meio ambiente equilibrado por meio da informação ambiental. Onde o combate ao desmatamento começa a ser efetivado pelo Código Florestal Lei n°12.651, de 25 de maio de 2012, que dispões sobre a proteção da vegetação nativa e dá outras providências, dentre eles o Cadastro Ambiental Rural (CAR). Este último que forma uma base de dados para controle, monitoramento, planejamento ambiental e econômico e combate ao desmatamento. Ferramenta importante no controle ambiental e auxiliando na formulação de políticas públicas. Para identificar os autores de infrações ambientais e promover a regularização ambiental de propriedades rurais privadas, o governo estabeleceu uma exigência de registro nacional, com uso de geotecnologias. Avaliando o Uso e cobertura do solo do município de Bragança-PA, usando os dados da Plataforma MapBiomas Coleção 5, observou-se que no período de vigência do novo Código Florestal houve uma redução no desmatamento. E, que está legislação necessita de algumas regulamentações que fundamente a sua ação como é a proposta do PRA.

 

Palavras-chave: Desflorestamento, Legislação Florestal, Uso e cobertura do solo, Bragança-PA.

 

 

A B S T R A C T

 

The defense of the environment is an agenda that is always in evidence, because within the perspective of the Brazilian state, the Federal Constitution of 1988, which protected the protection of an ecologically balanced environment as a fundamental right, imposing on the Public Power and society the duty to preserve and defend the environment. In the process of occupation, deforestation was the main vector of changes in the landscape in the Amazon, the political and economic scenario of major environmental problems, it is necessary to encourage environmental awareness, which promotes the collective protection of a balanced environment through environmental information. Where the fight against deforestation begins to be carried out by the Forest Code Law No. 12.651, of May 25, 2012, which provides for the protection of native vegetation and other measures, including the Rural Environmental Registry (CAR). The latter forms a database for control, monitoring, environmental and economic planning and combating deforestation. An important tool in environmental control and assisting in the formulation of public policies. In order to identify the perpetrators of environmental infractions and promote the environmental regularization of private rural properties, the government established a national registration requirement, using geotechnologies. Evaluating the use and land cover of the municipality of Bragança-Pa, using data from the MapBiomas Collection 5 Platform, it was observed that in the period of validity of the new Forest Code there is a reduction in deforestation. And, that this legislation needs some regulations that support its action as is the proposal of the PRA.

 

Keywords: Deforestation, Forest Legislation, Land use and cover, Bragança-PA.


Palavras-chave


Desflorestamento, Legislação Florestal, Uso e cobertura do solo, Bragança-PA.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Abramovay, R. (2018). A Amazônia precisa de uma economia do conhecimento da natureza. São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 18 de junho de 2021.

Aires, A. P. A. (2019). A gestão do Programa Municípios Verdes no combate ao desmatamento em Óbidos-PA: elaboração de diretrizes para o fortalecimento do Núcleo Executor do Programa Municípios Verdes. Orientador: André Cutrim Carvalho. 2019. 102 f. Dissertação (Mestrado em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia) - Núcleo de Meio Ambiente, Universidade Federal do Pará, Belém.

ALMEIDA, H. G. & SILVA, G. B. C. (1998). Socioeconômica do município de Bragança. Belém: CPRM. (Programa Informações para Gestão Territorial). Disponível em: https://rigeo.cprm.gov.br/handle/doc/14754. Acesso em: 10 de maio de 2021.

Antunes, T. (2021). 1934, um ano decisivo para a legislação florestal brasileira. Faces da História, 8(1), p. 93-117.

Asquini, S. (2014). A Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica nos Crimes Ambientais. Uni santa Law and Social Science, 3(2), p. 1-17.

Bezerra, F. C. P. O. (2007) meio ambiente na constituição federal de 1988: um olhar sobre os princípios constitucionais ambientais. Revista Digital Constituição e Garantia de Direitos, 1(2), p. 1-24.

BRASIL (1979). Lei nº 6.746, de 10 de dezembro dE 1979. Altera o disposto nos arts. 49 e 50 da Lei nº 4.504, de 30 de novembro de 1964 (Estatuto da Terra), e dá outras providências. DOFC de 11/12/1979, p. 18673. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1970-1979/l6746.htm> . Acesso em: 12 Jul 2021.

BRASIL, Presidência da República. Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e de outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2/11/1981. Não paginado. Disponível em: Acesso em: 11 fev. 2021.

BRASIL. (1988). Constituição Federal. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 05/10/1988, p. 1. Disponível em: < https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm> . Acesso em: 10 Jul 2021.

BRASIL. (2012a). Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012; dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis NºS 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as leis nºs 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a medida provisória nº 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências.. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 28/05/2012, p. 1. Disponível em: . Acesso em: 05 de Jun. de 2021.

BRASIL. (2012b). Decreto 7.830, de 17 de outubro de 2012. Dispõe sobre o Sistema de Cadastro Ambiental Rural, o Cadastro Ambiental Rural, estabelece normas de caráter geral aos Programas de Regularização Ambiental, de que trata a Lei 12.651, de 25 de maio de 2012, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18/10/2012, p. 5. Disponível em: . Acesso em: 14 Jul 2021.

BRASIL.(2012c). Lei nº 12.727, de 17 de outubro de 2012. Altera a Lei no 12.651, de 25 de maio de 2012, que dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nos 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; e revoga as Leis nos 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, a Medida Provisória no 2.166-67, de 24 de agosto de 2001, o item 22 do inciso II do art. 167 da Lei no 6.015, de 31 de dezembro de 1973, e o § 2º do art. 4º da Lei no 12.651, de 25 de maio de 2012. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18/10/2012, p. 1. Disponível em: . Acesso em: 14 de junho de 21.

Buainain, A., Favareto, A., Contini, E., Chaves, F., Henz, G., Garcia, J., Damiani, O., Vieira, P. A., Grundling, R. D. P. & Nogueira, V. D. C. (2020). Desafios para agricultura nos biomas brasileiros. Área de Informação da Sede-Livro científico (ALICE), – Brasília, DF: Embrapa, 69 p.

Cardona, V. (2021). Competências constitucionais e responsabilidade ambiental dos entes públicos no Brasil: reflexões para uma nova repartição. Revista Direitos Fundamentais e Alteridade, 4(2),112-142.

Contente, A. C. P. (2013). Bragança: um breve olhar sobre a reserva extrativista marinha caeté-taperaçu. Amazônica-Revista de Antropologia, 5(3), 682-706.

Cruz, C., Sauerbronn, F., & Macedo, M. A. (2013). Um estudo sobre a divulgação de informações de gestão ambiental nas homepages de grandes municípios brasileiros (A Study about Disclosure of Environmental Management Information in Websites of Large Brazilan Municipalites). Revista Contemporânea de Contabilidade, 10(20), 161-182.

Dantas, M. & Teixeira, S. G. (2013). Capitulo 3: Origem das paisagens do Estado do Pará. In: João, Xafi da Silva Jorge; Teixeira, S. G.; Fonseca, D. D. F. Geodiversidade do estado do Pará. CPRM - Serviço Geológico do Brasil, p.25-52

De Sousa, J. M. (2019). Impacto ambiental e logística reversa. Editora Senac: São Paulo, p. 276

Dias, D. S., Roberta, L. D. O., & Rodrigues, R. S. (2020). Temporal evolution land use and occupation on the Parauapebas river watershed, Pará. Journal of Hyperspectral Remote Sensing, 10(3), 122-129.

Drummond, J. A. (2000). Recursos naturais, meio ambiente e desenvolvimento na Amazônia brasileira: um debate multidimensional. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, 6, 1135-1177.

Faria, V. G. (2016). Priorização de áreas para restauração florestal visando conservar solo, água e biodiversidade em paisagens agrícolas. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. Piracicaba.

Farias, M., Beltrão, N., Santos, C., & Silva, C. (2018). Potencial do Cadastro Ambiental Rural (CAR) no controle do desmatamento em assentamentos no município de Novo Repartimento (PA). GOT: Revista de Geografia e Ordenamento do Território, 14, p. 179.

Flores, M. D. S. A., & dos Santos, T. S. B. (2019). O ICMS ecológico como instrumento de gestao ambiental: o caso do estado do para/the ecological icms--tax on circulation of goods and ser vices--as an environmental mana gement tool: the para state study-case. AOS-Amazonia, Organizacoes e Sustentabilidade, 8(2), 61-79.

Garmatter, L. C. (2018). Cadastro Ambiental Rural (CAR): instrumento agrário que visa o planejamento e monitoramento da propriedade rural. Monografia, UFPR, Curitiba.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografi a e Estatística. (2020) Contas de ecossistemas : o uso da terra nos biomas brasileiros: 2000- 2018. Coordenação de Recursos Naturais e Estudos Ambientais, Coordenação de Contas Nacionais. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101753_folder.pdf. Acesso em: 13 de maio de 2021.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2021). Malha Municipal. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do-territorio/estrutura-territorial. Acesso em: 12 de março de 2021.

Júnior, A. V. & Demajorovic, J. (2020). Modelos e ferramentas de gestão ambiental: desafios e perspectivas para as organizações. Editora Senac São Paulo.

Machado, A. R. & Saleme, E. R. (2017). Cadastro Ambiental Rural, Sustentabilidade e o Programa De Regularização Ambiental. Rev. de Direito e Sustentabilidade, Maranhão, 3(2), 125-140.

Mapbiomas 2020. Brasil perdeu área de vegetação nativa equivalente a 10% do território nacional entre 1985 e 2019. Belém-PA, dezembro. Disponível em: https://mapbiomas.org/noticias. Acesso em 10 de maio de 2021.

Maurano, L. E. P.; Escada, M. I. S. & Renno, C. D. (2019). Padrões espaciais de desmatamento e a estimativa da exatidão dos mapas do PRODES para Amazônia Legal Brasileira. Ciência Florestal, v. 29, p. 1763-1775.

Merlin, L. V. C. T. & Oliveira, A. C. (2016). ICMS Verde para a redução do desmatamento amazônico: estudo sobre uma experiência recente. Veredas do Direito: Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, v. 13, n. 25, p. 277-306.

Neto, S. M. R. (2021). Limites da Competência Normativa Municipal Ambiental. Belo Horizonte: Editora Dialética. 100 p.

Neves, M. F. (2021). Ferramentas para o futuro do agro: Estratégias para posicionar o Brasil como fornecedor mundial sustentável de alimentos, bioenergia e outros agroprodutos. São Paulo: Editora Gente. 320 p.

Nunes, D. H., & de Souza Lehfeld, L. (2018). O programa de regularização ambiental (pra) como novo modelo de recuperação do passivo ambiental: falência do “punir para conscientizar”. Veredas do Direito: Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, 15(33), 377-398.

PARÁ (Estado). Decreto nº 1.379, de 3 de setembro de 2015, cria o Programa de Regularização Ambiental dos Imóveis Rurais do Estado do Pará – PRA/PA e dá outras providências. Publicado no DOE/PA n° 32.965, fls. 5-10, 2015.

PARÁ (Estado). Decreto nº 1.653, de 7 de dezembro de 2016, altera o Decreto Estadual no 1.379, de 3 de setembro de 2015, que cria o Programa de Regularização Ambiental dos Imóveis Rurais do Estado do Pará – PRA, e dá outras providências. Publicado no DOE Nº 33267, de 09 de dezembro de 2016, pág. 6

Perazzoni, F. (2021). Informação geográfica, sustentabilidade e Amazônia: geointeligência aplicada à avaliação de manejos florestais sustentáveis no Sul do Amazonas. Tese de doutorado, Universidade Aberta, Lisboa, Portugal, 177 p.

Pertille, C. T., Coelho, C. C., Gerber, D., de Castro Faria, Á. B., & Brun, E. J. (2017). Estudo comparativo das diretrizes dos códigos florestais de 1965 e 2012. Extensão Rural, DEAER–CCR–UFSM, 24(2), 55-71.

Projeto MapBiomas. (2021). Coleção 5 da Série Anual de Mapas de Uso e Cobertura da Terra do Brasil. Disponivel em: https://mapbiomas.org/. Acesso em 10 de fevereiro de 2021.

Quintas, J. S. (2006) Introdução à gestão ambiental pública. 2ª ed. revista. – Brasília: Ibama. 134 p.

Rocha, I. A., Condurú, M. T., Flores, M. D. S. A., & de Miranda Rocha, G. (2021). O princípio da informação no cadastro ambiental rural e o planejamento de políticas públicas. P2P E INOVAÇÃO, 7, 101-117.

Rodrigues, A. R., & Matavelli, C. J. (2020). As principais alterações do Código Florestal Brasileiro. Revista Brasileira de Criminalística, 9(1), 28-35.

Salemi, L. F.; Groppo, J. D.; Trevisan, R.; Seghesi, G. B.; Moraes, J. M.; Ferraz, S. F. B.; Martinelli, L. A. (2012). Consequências hidrológicas da mudança de uso da terra de floresta para pastagem na região da floresta tropical pluvial atlântica. Ambi-Água, Taubaté, 7(3), 127-140.

Santos, M. D. N. S., de Morais Dias, G. F., de Sena Quaresma, J. A., & Da Silva, C. N. (2019). Dinâmica de uso e cobertura da terra no município de Bragança, Nordeste Paraense. InterEspaço: Revista de Geografia e Interdisciplinaridade, 5(16), 1-19.

Scardua, F. P. & Bursztyn, M. A. A. (2003). Descentralização da política ambiental no Brasil. Sociedade e Estado, v. 18, p. 291-314.

SICAR – Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural. Consulta pública. Brasília: Sistema Florestal Brasileiro. Disponível em: https://www.car.gov.br/publico/imoveis/index. Acesso em: 10 de março de 2021.

Silva, M. G. L., Cordeiro, T. F., de Oliveira, R. R. S., Narvaes, I. D. S., Gomes, A. R., Adami, M., Freitas, L. J. M. & Valeriano, D. D. M. (2017, maio). Índice texturais das áreas de exploração florestal na FLONA do Tapajós (Pará), utilizando imagens de média resolução espacial fusionadas. Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Santos, SP, Brasil, 18.

Sousa, M. C. (2021). Análise espaço-temporal de ocupação do solo na área de influência da PA-458, zona costeira no município de Bragança-PA. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Curso de Engenharia Ambiental e Energias Renováveis, Campus Universitário de Belém, Universidade Federal Rural Da Amazônia, Belém, 2021.

Souza Jr, C. M., Shimbo, J. Z., Rosa, M. R., Parente, L. L., A Alencar, A., Rudorff, B. F., ... & Azevedo, T. (2020). Reconstructing three decades of land use and land cover changes in brazilian biomes with landsat archive and earth engine. Remote Sensing, 12(17), 2735.

Souza, C., & Azevedo, T. (2017). MapBiomas General “Handbook”: Algorithm: Theoretical Basis Document (ATBD). Agosto, 2017 49 p. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Carlos-Souza-20/publication/345239707_MapBiomas_General_Handbook/links/5fa1209d299bf1b53e5cf7e0/MapBiomas-General-Handbook.pdf. Acesso em: 12 de março de 2021.

USGS - United States Geological Survey. (2021) Earth Resources Observation and Science (EROS) Center. USGS EROS Archive - Digital Elevation - Shuttle Radar Topography Mission (SRTM) Non-Void Filled. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2021.

USGS Landsat (2017). USGS Landsat Collection 1 Level 1 Product Definition; USGS Landsat: Sioux Falls, SD, USA; Volume 26.

Val, A. L. (2014). Amazônia um bioma multinacional. Ciência e Cultura, 66(3), 20-24.

Valeriano, D. M.; Escada, M. I. S; Câmara, G.; Amaral, S.; Maurano, L.; Rennâ, C. D.; Almeida, C. A; Monteiro, A. M. V. (2012). Monitoramento do desmatamento. In: MARTINE, G. (ed.). População e sustentabilidade na era das mudanças ambientais globais: contribuição para uma agenda brasileira. Belo Horizonte: ABEP,. p. 223-238.

Vilela, E. F., Callegaro, G. M., & Fernandes, G. W. (2019). Biomas e agricultura: oportunidades e desafios. Rio de Janeiro: ABC, 304 p.

Winckler, P. C. (2019). O cadastro ambiental do imóvel rural no Brasil como pressuposto para o desenvolvimento sustentável do meio rural. Dissertação de mestrado, Universidade de Cruz Alta, Cruz Alta: Rio Grande do Sul, 131p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Felipe Oliveira Ribeiro

Revista Brasileira de Meio Ambiente | ISSN: 2595-4431

CC-BY 4.0 Revista sob Licença Creative Commons
Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn