Atributos físico-químicos de frutos de laranja 'Pêra' produzidos sob sistemas de cultivo orgânico e convencional

Bruno Emanuel Souza Coelho, Valéria Medrado Duarte, Laurenielle Ferreira Moraes da Silva, Karla dos Santos Melo de Sousa, Acácio Figueiredo Neto

Resumo


A laranja (Citrus sinensis) é a principal cultura do gênero citrus, sendo uma das principais frutas que compõem a pauta de exportação do agronegócio brasileiro. Dentre as principais cultivares de laranja, a variedade ‘Pêra’ é a de maior importância no Brasil pelo fato de ter um alto rendimento e qualidade de seu suco. A produção de laranja orgânica no estado de São Paulo é destaque nacional, e essa tecnologia vem se difundido no restante do país e a maior dificuldade desse crescimento é a falta de conhecimento científico. Diante disso, objetivou-se avaliar os atributos físicos e físico-químicos de frutos de laranja cultivar ‘Pêra’ cultivada em sistema orgânico e convencional em condições de clima semiárido no município de Juazeiro-BA. As amostras foram adquiridas em estádio de maturação maduro, C3–Laranja predominante, no mercado local. Os frutos foram avaliados quanto à os atributos físicos de: massa fresca, diâmetro equatorial e longitudinal e rendimento do suco, o suco dos frutos foram avaliados quanto ao pH, acidez titulável, sólidos solúveis, ratio, vitamina C e cor (L*, a*, b*). Os frutos cultivados em sistema orgânico apresentaram maior rendimento de suco, ou seja, maior aproveitamento, e mais desejado será pela indústria. O cultivo da laranja em sistema orgânico em condições semiáridas do interior da Bahia, proporcionou maior ratio e menor acidez no suco dos frutos, quando comparado ao suco dos frutos cultivado em sistema convencional, entretanto não houve diferença quanto o teor de sólidos, pH solúveis e vitamina C. Os frutos produzidos em sistema convencional apresentaram uma cor mais amarelada na polpa, quando comparados aos frutos produzidos em sistema orgânico.


Palavras-chave


Citrus sinensis; agroecologia; citricultura; pós-colheita.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


AGOSTINI, J. P. Manejo integrado de enfermedades de los frutales cítricos. In: SOZZI, G. (Ed. Lit.). Árboles Frutales: Ecofisiología, Cultivo y Aprovechamiento. 1. ed. Buenos Aires: Editorial Facultad de Agronomía – Universidad de Buenos Aires, 2007. p. 481 – 511.

AMARANTE, C. V. T.; STEFFENS, C. A.; MAFRA, A. L.; ALBUQUERQUE, J. A. Yield and fruit quality of Apple from conventional and organic production systems. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 43, n. 3, p. 333-340, 2008.

ARRUDA, M. C.; FISCHER, I. H.; ZANETTE, M. M.; SILVA, B. L.; SANTOS, C. A. J. P. Qualidade físico química de frutos de laranja ‘Valência’ provenientes de cultivos orgânicos e convencional. Citrus Research & Technology, v 32, n. 2, p. 103-108, 2011.

ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTRY. Official methods of analysis. Association of Official Analytical Chemists, Washington D.C., 1984. p. 844-845.

BENASSI, M. T.; ANTUNES, A. J. A. Comparison of meta-phosphoric and oxalic acids as extractant solutions for the determination of vitamin C in selected vegetables. Arquivos de Biologia e Tecnologia, Curitiba, v.31, n.4, p. 507-513, 1988.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Coordenação de Inspeção Vegetal. Serviço de Inspeção Vegetal. Instrução Normativa n. 1, de 7 de janeiro de 2000. Aprova o regulamento técnico geral para fixação dos padrões de identidade e qualidade para polpa de fruta. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 jan. 2000. Disponível em: . Acesso em: 20 mai. 2018.

BRUNINI, M. A.; SAMECIMA JUNIOR, E. H.; OLIVEIRA, C. A. Qualidade de laranja Hamlin armazenada em diferentes temperaturas. Nucleus, v. 10: p. 307-32, 2013.

CEAGESP- Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo. Normas de Classificação de Citros de Mesa/ CEAGESP - São Paulo: CEAGESP, 2011. 12p.

CODEX ALIMENTARIUS. Standard for oranges: Codex Stan 245-2004. 1º Amendment. Rome: FAO e WHO, 2005. 6 p.

COELHO, Y. D. S. Diferenças entre os tipos de laranja. 2013. Editora Abril. Disponivel em . Acesso em: 11 Dezembro 2017.

DANIELI, F.; COSTA, L. R. L. G.; SILVA, L. C. Determinação de vitamina c em amostras de suco de laranja in natura e amostras comerciais de suco de laranja pasteurizados e envasado em embalagem Tetra Park. Revista do Instituto de Ciências da Saúde. v. 27, n.4, p.361-365, 2009.

IBGE, 2016. Produção Agrícola Municipal, 2016. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br. Acessado em 24 de Setembro de 2018.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz, 2008. 1020 p.

JAYAPRAKASHA, G. K.; PATIL, B. S. In vitro evaluation of the antioxidant activities in fruit extracts from citron and blood orange. Food Chemistry, v. 101, n. 1, p. 410-418, 2007.

KÖPPEN, W.; GEIGER, R. Klimate der Erde. Gotha: Verlag Justus Perthes. Wall-map 150cmx200cm, 1928.

LESTER, G. E.; MANTHEY, J. A.; BUSLIG, B. S. Organic vs conventionally grown Rio Red whole grapefruit and juice: Comparison of production inputs, market quality, consumer acceptance, and human health-bioactive compounds. Journal of Agricultural and Food Chemistry, Easton, v. 55, n. 11, p. 4474-4480, 2007.

LOZANO, R. D. “El color y su medición”, Ed. I Américalee S.R.L, Buenos Aires, 1978, 640 p.

MACHADO, T. V. Avaliação sensorial e físico-química do suco de laranja proveniente das etapas do processamento do suco concentrado e congelado. 2010. 117 f. Dissertação (Mestrado em Alimentos e Nutrição), Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São Paulo, 2010.

MACHADO, T. V. Avaliação sensorial e físico-química do suco de laranja proveniente das etapas do processamento do suco concentrado e congelado. 2010. 117 f. Dissertação (Mestrado em Alimentos e Nutrição), Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São Paulo, 2010.

OLIVEIRA, R. P. de; SCIVITTARO, W. B.; CASTRO, L. A. S. de; ROMBALDI, C. V.; MOURA, R.S.; SANTOS, V.X. Frutas cítricas sanguíneas e de polpa vermelha. 1. ed. Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2012. v. 1. 32p.

OLIVEIRA, R. P. de; SCIVITTARO, W. B.; SCHRODER, E.C.; ESSWEIN, F.J. Produção orgânica de citros no Rio Grande do Sul. 1. ed. Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2010. v. 1. 295p

OSORIO, R. M. L.; LIMA S. M. V.; SANT’ANNA R. L.; CASTRO A.M. G. Demandas tecnológicas da cadeia produtiva de laranja no Brasil. Latin American Journal of Business Management, v. 8, n. 2, p. 40-66, 2017.

PEREIRA, A. C. C de. Qualidade pós-colheita da laranja Pêra Rio comercializada nas centrais de abastecimento do estado de Goiás. 2014, 35 f. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Agronomia) Uni-Anhanguera – Centro Universitário de Goiás, Goiás, 2014.

PEREIRA, M. E. C.; CANTILLANO, F. F.; GUTIEREZ, A. S. D.; ALMEIDA, G. V. B. Procedimentos Pós-Colheita na Produção Integrada de Citros. Cruz das Almas: Embrapa Tropical, 2006. 40p.

PETRY, H. B.; KOLLER, O. C.; BENDER, R. J.; SCHWARZ, S. F. Qualidade de laranjas 'Valência' produzidas sob sistemas de cultivo orgânico e convencional. Revista Brasileira de Fruticultura (Impresso), v. 34, p. 167-174, 2012.

ROUSSOS. P. A.; GASPARATOS. D. Apple tree growth and overall fruit quality under organic and conventional orchard management. Scientia Horticulturae, Amsterdam, v. 123, n. 2, p. 247-252, 2009

SARTORI, I. A.; KOLLER, O. C.; SCHWARZ, S. F.; BENDER, R. J.; SCHÄFER, G. Maturação de frutos de seis cultivares de laranjas doces na depressão central do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 24, n. 2, p. 364-369, 2002.

SARTORI, I.A.; KOLLER, O.C.; SCHWARZ, S.F.; BENDER, R.J.; SCHÄFER, G. Maturação de frutos de seis cultivares de laranjas-doces na Depressão Central do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v.24, n.2, p.364-369, 2002.

SCHWARZ, S. F. Melhoramento genético e variedades. In: KOLLER, O. C. (Org.). Citricultura: 1. Laranja: Tecnologia de produção, pós-colheita, industrialização e comercialização. Porto Alegre: Cinco Continentes, 2006. p. 41-54.

SILVA, A. F. Qualidade de frutos da laranjeira ‘Mimo-do-céu’ (Citrus sinensis L. osbeck var. Mimo) oriundos de diferentes épocas de colheita. 2013, 60 f. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Agronomia) Universidade Federal da Paraíba, Areias - PB, 2013.

SILVA, F. DE A. S. E.; AZEVEDO, C. A. V. DE. The Assistat Software Version 7.7 and its use in the analysis of experimental data. African Journal of Agricultural Research. Res, v.11, n.39, p.3733-3740, 2016.

SILVA, F. de A. S. e.; AZEVEDO, C. A. V. de. The Assistat Software Version 7.7 and its use in the analysis of experimental data. African Journal of Agricultural Research. Res, v.11, n.39, p.3733-3740, 2016.

SILVA, P. T.; FIALHO, E.; MIGUEL, M. A. L.; LOPES, M. L. M.; VALENTEMESQUITA, M. L. Estabilidade química, físico-química e microbiológica de suco de laranja cv. Pera submetido a diferentes condições de estocagem. Boletim CEPPA, v. 25, n. 2, p. 235-246, 2007.

UNCTAD - United Nations Conference on Trade and Development. Citrus fruit: quality. Disponível em: http://www.unctad.org/ infocomm/anglais/orange/quality.htm. Acessado em: abr. 2011.

Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Tabela brasileira de composição de alimentos - TACO. 4. ed. rev. e ampl. Campinas: UNICAMP/NEPA, 2011. 161 p. Disponível em: . Acesso em: 20 mai. 2018.

VOLPE, C. A.; SCHÖFFEF, E. R.; BARBOSA, J. C. Influência da soma térmica e da chuva durante o desenvolvimento de laranjas 'Valência' e 'natal' na relação entre sólidos solúveis e acidez e no índice tecnológico do suco. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 24, n. 2, p. 436-441, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Bruno Emanuel Souza Coelho, Valéria Medrado Duarte, Laurenielle Ferreira Moraes da Silva, Karla dos Santos Melo de Sousa, Acácio Figueiredo Neto

Revista Brasileira de Meio Ambiente | ISSN: 2595-4431

CC-BY 4.0 Revista sob Licença Creative Commons
Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn