Padronização e qualidade de ovos caipiras comercializados em feira livre no município de Vitória de Santo Antão (Pernambuco – Brasil)

Thiago Henrique Cavalcanti Mendonça, Andréa Renilda Silva Soares, Joanna Rafaella da Silva, Maurício da Silva Souza, Adalberto Francisco da Silva Júnior, Anderson Ricardo Galdino da Silva

Resumo


O aumento no consumo de ovos associados a uma alimentação mais saudável induziu a uma produção de um produto de boa qualidade. Assim, objetivou-se foi avaliar a padronização e qualidade interna de ovos caipiras comercializados em feira livre no município de Vitória de Santo Antão-PE. O experimento foi conduzido no IFPE Campus Vitória de Santo Antão - PE, avaliando-se ovos de cinco bancas distintas (A, B, C, D e E) na proporção de 12 ovos por banca. Foram avaliadas peso do ovo (g), altura do ovo (mm), circunferência do ovo (mm), peso de gema (g), porcentagem de gema (%), peso de albúmen (g) e porcentagem de albúmen (%). O peso médio dos ovos variou de 41,97 g (Banca D) a 51,77 g (Banca A). Em relação às dimensões dos ovos, os da banca C (54,90 mm) e a E (54,25 mm) apresentaram maiores valores de altura, enquanto que o da banca A (41,22 mm) se destacou na circunferência dos ovos. O peso do albúmen não apresentou diferença expressiva entre as bancas, enquanto que a % do albúmen teve maior destaque nos ovos das bancas A (56,87%) e C (56,45 %). O peso da gema foi maior nas bancas E (17,45 g) e C (17,12 g). No entanto não houve grande diferença na % de gema, variando de 31,82% (banca E) a 32,77% (banca B). Os ovos analisados se encontram com qualidade considerada boa independente da banca ou local de aquisição. Apenas os ovos da Banca D apresentaram com peso inferior a 45 g o que deve ser considerado inapropriado para o consumo e ser utilizado na indústria. Por ser um alimento que pode ser consumido na forma in natura, o ovo necessita de um tratamento para promover um período maior de tempo de prateleira. 


DOI: https://doi.org/10.5281/zenodo.3575265


Palavras-chave


Avicultura, padrão, ovos.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Alleoni, A. C. C. & Antunes, A. J. Unidade Haugh como medida de qualidade de ovos de galinha armazenados sob refrigeração. Scientia Agrícola, v.58, n.4, p.681-685, 2001.

Almeida, E. C. J., Carneiro, P. L. S., Nunes, L. A., Pereira, A. H. R., Farias Filho, R. V., Malhado, C. H. M. & Bittencourt, T. C. B. S. C. Características físicas de ovos de galinhas nativas comparadas a linhagem de postura. Archivos de Zootecnia, v. 68, n. 261, p. 82-87, 2019.

AVIPE – Associação Avícola de Pernambuco. Pernambuco em destaque de produção de ovos na região nordeste. 2017. Disponível em: . Acesso em: 30 ago 2019.

Barbosa, F. J. V., Nascimento, M. P. S. B., Diniz, F. M., Nascimento, H. T. S. & Araújo Neto, R. B. Sistema Alternativo de Criação de Galinhas Caipiras. Teresina: Embrapa Meio-Norte, 2007. 68 p. (Sistemas de Produção. Embrapa Meio-Norte).

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Portaria n. 1 de 21/02/1990. Publicada em 06/03/1990. Oficializa as Normas gerais de inspeção de ovos e derivados. Brasília. DF: MAPA, 1990. Disponível em: . Acesso em: 12 out 2019.

Costa, E. M. S., Dourado, L. R. B. & Merval, R. R. Medidas para avaliar o conforto térmico em aves. Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia, v.6, 2018, 2012.

Cunha, D. S., Cunha, S. S., Cabral, T. N., Reis, S. D. S. & Pinheiro, L. M. F. Qualidade Interna e Externa de Ovos Caipiras Comercializados em Feiras da Cidade de São Luís, MA, Brasil. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS. 2., 2017, Rio Grande do Norte. Anais... Rio Grande do Norte: PDVAGRO, 2017.

Espíndola, M. H. M. Uso de Revestimento a Base de Fécula de Mandioca sob a Qualidade de Ovos Caipiras Armazenados em Temperatura Ambiente. 2018. 48 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Florianópolis, 2018.

Ferreira, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, v. 35, n.6, p. 1039-1042, 2011.

Fiuza, M. S. Avaliação da Qualidade dos Ovos Comercializados em Feira de Santana/BA. 2014. 28 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) – Universidade Federal da Bahia, Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Salvador, 2014.

Gonçalves, A. O., Abdala, M. C. Na Banca Do ‘Seu’ Pedro É Tudo Mais Gostoso: pessoalidade e sociabilidade na feira-livre. Ponto Urbe [Online], 12 | 2013. Disponível em: http://journals.openedition.org/pontourbe/528 ; DOI : 10.4000/pontourbe.528. Acesso em: 08 nov 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estimativas populacionais para os municípios e para as Unidades da Federação Brasileiros. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/pe/vitoria-de-santo-antao.html. Acesso em 09 out 2019.

Lacerda, M. J. R., Leandro, N. S. M., Andrade, M. A., Alcântara, J. B., Stringuini, M. L. F. & Café, M. B. Qualidade Física e Bacteriológica de Ovos Opacos de Codornas Sanitizados, Refrigerrados e Contaminados Experimentalmente por Salmonella enterica SER. TYPHIMURIUM. Ciência Animal Brasileira, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 11-25, 2016.

Lot, L. R. T., Broek, L. V. D., Montebello, P. C. B. & Carvalho, T. B. de. Mercado de ovos: panorama do setor e perspectivas. In: CONGRESSO DA SOBER. 43., 2005, Ribeirão Preto. Anais... Ribeirão Preto: SOBER, 2005.

Mazzuco, H. Ovo: alimento funcional, perfeito à saúde. Avicultura Industrial, n.2, p.12-16, 2008.

Oliveira, D. L., Nascimento, J. W. B., Camerini, N. L., Silva, R. C., Furtado, D. A. & Araújo, T. G. P. Desempenho e qualidade de ovos de galinhas poedeiras criadas em gaiolas enriquecidas e ambiente controlado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental v. 18, n. 11, p. 1186-1191, 2014.

Pascoal, L. A. F., Bento Junior, B. A., Santos, W. S., Silva, L. S., Dourado, L. R. B. & Bezerra, A. B. A. Qualidade dos ovos comercializados em diferentes estabelecimentos na cidade de Imperatriz-MA. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v.9, n.1; p.150-157; 2008.

POLINUTRI ALIMENTO. Fatores que interferem na qualidade da casca do ovo, 2007. Disponível em: http://www.polinutri.com.br/upload/artigo/190.pdf. Acessado em: 12 out 2019.

Quadros, D. G., Jesus, T. R., Kanematsu, C. H., Sá, A. M., Silva, G. V. A., Silva, A. L. R. & Andrade, A. P. Qualidade de ovos de galinha comercializados em Barreiras, BA, estocados em diferentes condições de temperatura. Revista Acadêmica: Ciências Agrárias e Ambientais, v. 9, n. 4, p. 363-369, 2011.

Reichert, L. J., Gomes, M. V. & Schwengber, J. E. Avaliação técnica e econômica de um agroecossistema familiar de base ecológica na região Sul do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Agrociência, vol. 17, no. 1, pp. 123-132, 2011.

Ribeiro, G. A. Qualidade dos ovos de feiras livres do município de Uberlândia-MG. 2019. 22 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) – Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Medicina Veterinária, Uberlândia, 2019.

Rosseto, H. H., Klosoki, S. J., Pimentel, T. C., Marques, A. F. & Barão, C. E. Análise da Qualidade de Ovos Disponíveis em Supermercados e Armazenados em Diferentes Temperaturas. Revista Ciência y Tecnologia, v. 20, n. 29, p. 45-49, 2018.

Silva, R. C., Nascimento, J. W. B., Oliveira, D. L. & Furtado, D. A. Termohigrometria no Transporte e na qualidade de Ovos Destinados ao Consumo Humano. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 19, n. 7, p. 668-673, 2015.

Sordi, J. Novas diretrizes americanas liberam consumo de alimentos ricos em colesterol. 2015. Disponível em: https://gauchazh.clicrbs.com.br/saude/vida/noticia/2015/08/novas-diretrizes-americanasliberam-consumo-de-alimentos-ricos-em-colesterol-4824817.html. Acesso em: 13 out 2019.

Trindade, J. L., Nascimento, J. W. B. do &Furtado, D. A. Qualidade do ovo de galinhas poedeiras criadas em galpões no semiárido paraibano. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola Ambiental, v.11, p.652–657, 2007.

Vilela, D. R., Carvalho, L. S. S., Fagundes, N. S. & Fernandes, E. A. Qualidade Interna e Externa de Ovos de Poedeiras Comerciais com Cascas Normal e Vítrea. Ciência Animal Brasileira, Goiânia, v. 17, n. 4, p. 509-518, 2016b.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Thiago Henrique Cavalcanti Mendonça

Revista Brasileira de Meio Ambiente | ISSN: 2595-4431

CC-BY 4.0 Revista sob Licença Creative Commons
Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn