Identificação de visitantes florais em plantio de moringa

Guilherme Veloso da Silva, Jacob Silva Souto, Patrícia Carneiro Souto, João Batista dos Santos, Adriana da Silva Santos, Luis Eugênio Lessa Bulhões, José Kennedy do Nascimento Ribeiro, João Paulo de Oliveira Santos

Resumo


Os visitantes florais exercem uma função imprescindível para que ocorra a reprodução de plantas com flores. Nesse sentido, objetivou-se identificar visitantes florais nativos. O estudo foi desenvolvido em área de plantio de moringa no município de São José do Bonfim, Sertão Paraibano. Foi realizada a identificação de visitantes florais presentes nas flores da moringa. As observações ocorreram de abril a julho de 2019. O estudo teve como base o início da floração da cultura, onde foram realizadas observações diárias, não consecutivas, no intervalo de 6h:30min às 16h:00min. Para a frequência de visitantes florais, foram considerados como abundantes (A), quando esses apresentaram frequências de visitas iguais ou superiores a 30%; frequentes (F) quando a frequência de visitas foi 10% a 30% e raros (R), quando a frequência foi inferior a 10%. Os dados de precipitação mensal dos seis primeiros meses de 2019 foram obtidos através da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA).O comportamento dos visitantes florais foi registrado, através de observações diretas, e fotografias. Os visitantes florais foram classificados em polinizadores e pilhadores. O principal polinizador da moringa é a abelha (Apis mellifera) e os polinizadores secundários são as borboletas Theclinae e Danaus gilippus berenice.


Palavras-chave


Apis melífera; Morigaceae; Polinizador.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Alvares, C. A.; Stape, J. L.; Sentelhas, P. C.; Gonçalves, J. L. M.; Sparovek, G. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, v. 22, p.711–728, 2014.

Bawa, K.S. (1990). Plant-pollinator interactions in tropical raian forest. Annual Review of Ecology, Evolution, and Systematics, 21, 399-422.

BFG (The Brazilian Flora Group). 2015. Growing knowledge: an overview of Seed Plant diversity in Brazil. Rodriguésia, 66: 1085-1113.

Cáceres, A., Cabrera, O., Morales, O., Mollinedo, P., & Mendia, P. (1991). Pharmacological properties of Moringa oleífera. 1: Preliminary screening for antimicrobial activity. Journal of Ethnopharmacology, 33, 213-216.

Dafni, A. (1992). Pollination ecology. New York: Oxford University Press.

Hanley, N., Breeze, T. D., Ellis, C., & Goulson, D. (2015). Measuring the economic value of pollination services: Principles, evidence and knowledge gaps. Ecosystem Services, 14, 124-132.

IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017). São José do Bonfim-PB. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pb/sao-jose-do-bonfim/panorama. Acesso em: 05 maio. 2019.

Imenes, L. S., & Ide S. (2002). Principais grupos de insetos pragas em plantas de interesse econômico. Biológico, 64(2), 235-238.

Inouye, D.W. (1980). The terminology of floral larceny. Ecology, 61, 1251-1253.

Khanh, T. D, Cong L.C., Xuan T.D., Uezato, Y., Deba, F., & Toyama, T. (2009). Allelopathic plants: 20 hairy beggarticks (Bidens pilosa L.) Allelopathy J, 24(1), 243-259.

Kiill, L. H. P., Haji, F. N. P., & Lima, P. C. F. (2000). Visitantes florais de plantas invasoras de áreas com fruteiras irrigadas. Scientia Agrícola, 57(3), 575-580.

Kiill, L. H. P., Martins, C. T. V. D., & Lima, P. C. F. (2012). Moringa oleifera: Registro dos Visitantes Florais e Potencial Apícola para a Região de Petrolina, PE. Petrolina: Embrapa.

Latif, A., Malik, S. A., Saeed, S., Zaka, S. M., Sarwar, Z. M., Ali, M., ... & Naoreen, M. (2019). Pollination biology of Albizia lebbeck (L.) Benth.(Fabaceae: Mimosoideae) with reference to insect floral visitors. Saudi Journal of Biological Sciences, 26(7), 1548-1552.

Lorenzi, H. (2008). Plantas Ornamentais no Brasil: arbustivas, herbáceas e trepadeiras (4a Ed.). Nova Odessa: Instituto Plantarum.

Milet-Pinheiro, P., & Schlindwein, C. (2009). Pollination in Jacaranda rugosa (Bignoniaceae): euglossine pollinators, nectar robbers and low fruit set. Plant Biology 11, 131-141.

Navarro, L. (2000). Pollination ecology of Anthyllis vulneraria subsp. vulgaris (Fabaceae): nectar robbers as pollinators. American Journal of Botany, 87, 980-985.

Ollerton, J., Winfree, R., & Tarrant, S. (2011). How many flowering plants are pollinated by animals? Oikos, 120(3), 321-326.

Radovich, T. (2011). Farm and Forestry Production and Marketing Profile for Moringa (Moringa oleifera). In: Elevitch, C.R. (ed.). Specialty Crops for Pacific Island Agroforestry. Permanent Agriculture Resources (PAR). Hawai: Holualoa.

Santos, A. F. S., Luz, L. A., Pontual, E. V., Napoleão, T. H., Paiva, P. M. G., & Coelho, L. C. B. B. (2015). Moringa oleifera: resource management and multiuse life tree. Advances in Research, 4, 388-402.

Silva, C. M., Silva, C. D., Hrncir, M., Queiroz, R. D., & Imperatriz-Fonseca, V. L. (2012). Guia de Plantas visitadas por abelhas na caatinga. Fortaleza: Fundação Brasil Cidadão.

Silva, G.V., Santos, A.S., Silva, K.J.M., Silva, M.G., & Gomes, F.A.L. (2020). Levantamento de plantas invasoras com potencial apícola em área de plantio de moringa. Meio Ambiente (Brasil), 2(2), 37-46.

Silva, G.V., Souto, J.S., Santos, J.B. (2019). Cultivo de moringa: importância nutricional, uso e aplicações. Meio Ambiente (Brasil), 1(3), 23-32.

Simão-Bianchini, R. (2012). Distribuição das espécies de Convolvulaceae na caatinga. In: Sampaio, E.V.S.B., Giulietti, A.M., Virgínio, J., & Gamarra-Rojas, C.F.L. (Org.). Vegetação e flora da Caatinga. Recife: Associação Plantas do Nordeste e Centro Nordestino de Informações sobre Plantas.

Souto, P.C., & Maior Júnior, S.G.S. (2018). Potencialidades da Moringa oleifera Lam. (4a. ed.) Aracaju: UFS.

Teixeira, M. N. (2016). O sertão semiárido. Uma relação de sociedade e natureza numa dinâmica de organização social do espaço. Revista Sociedade e Estado, 31(3), 769-797.

Vassière, B. E., Freitas, B. M., & Gemmill-Herren, B. (2011). Protocol to detect and assess pollination deficits in crops: a handobook for its use. Rome: Food and Agriculture Organization of the United Nations.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Guilherme Veloso da Silva, Jacob Silva Souto, Patrícia Carneiro Souto, João Batista dos Santos, Adriana da Silva Santos, Luis Eugênio Lessa Bulhões, José Kennedy do Nascimento Ribeiro, João Paulo de Oliveira Santos

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn