O Papel dos trabalhadores do campo nos aspectos ambientais das indústrias sucroalcooleiras

Valquíria do Nascimento Tavares, Inaldo Jerfson Sobreira da Silva, Maria Auxiliadora Freitas dos Santos, Adriana Aparecida Megumi Nishiwaki, Maria do Socorro Bezerra de Araújo

Resumo


O presente artigo foi elaborado mediante um estágio supervisionado com a parceria entre UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco e uma usina sucroalcooleira da Zona da Mata de Pernambuco onde foram realizados estudos acerca das visões epistemológica e educação ambiental dos trabalhadores do campo, a fim de gerenciar o uso dos subprodutos das indústrias sucroalcooleiras. Durante as atividades foram apresentadas situações problematizadoras como: formas de reduzir os impactos ambientais através da aplicação correta e consciente dos resíduos oriundos da produção do açúcar e álcool, alternativas eficientes que possam proporcionar uma produção mais limpa no âmbito da educação ambiental e o papel do trabalhador do campo como um ser contribuinte na promoção da sustentabilidade socioambiental. Ao final concluímos que é necessária uma ampliação da educação ambiental dos trabalhadores do campo pois, eles são os responsáveis pelo descarte final dos subprodutos das indústrias sucroalcooleiras. Porém, também vale ressaltar que é de responsabilidade das indústrias capacitar seus trabalhadores dando orientações da forma correta de aplicação desses produtos. Contudo, a aplicação correta desses resíduos representa uma alternativa para minimizar os impactos ambientais sendo possível uma produção ecologicamente correta acarretando dessa forma uma produção verdadeiramente limpa

Palavras-chave


Educação ambiental, Subprodutos, Trabalhadores do campo

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


ANASTÁCIO FILHO, S. Educação Ambiental nas Empresas Produtivas. In: Educação Ambiental Consciente – Série Educação Consciente. Wak. Rio de Janeiro. 2003.

BARBIERI, J. C. Gestão Ambiental Empresarial: conceitos, modelos instrumentos. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2007.

CARDOSO, M. G. Produção de Aguardente de qualidade. Lavras: UFLA. 2006.

CARVALHO, I. C. M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez, 2004.

CASCINO, Fábio. Educação ambiental: princípios, história, formação de professores. São Paulo: SENAC, 1999.

CAVALHEIRO, J. Consciência Ambiental entre Professores e Alunos da Escola Estadual Básica Dr. Paulo Devanier Lauda. Monografia em Educação Ambiental. Universidade Federal de Santa Maria, 2008, 61p.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez Editora, 2 ª edição, 1995.

COELHO, M. B. & PEIXOTO, M. J. C. Considerações econômicas sobre aplicação da vinhaça por aspersão em cana-de-açúcar. In: CONGRESSO NACIONAL DA STAB, 2, Rio de Janeiro, 1986.

COSTA, C. C., et. all. Impacto de alterações nas exportações de açúcar e álcool nas regiões Centro-Sul e Norte-Nordeste sobre a economia do Brasil. RER, Rio de Janeiro, vol. 44, nº 04, p. 609-627, out/dez 2006.

DIAS, G. F. Educação Ambiental: Princípios e Práticas. São Paulo: Gaia. 1994, 400p.

DIAS, GENEBALDO FREIRE. 40 contribuições pessoais para a sustentabilidade. São Paulo: Gaia, 2005

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1997,245p.; GOES, Tarcizio. A energia que vem da cana-de-açúcar. Brasília, DF: Embrapa, 2009. Disponível em:. Acesso em: 03 abr. 2014.

GRIPPI, S. Lixo: reciclagem e sua história: guia para as prefeituras brasileiras – 2° edição – Rio de Janeiro: Interciência, 2006.

GUIMARÃES, M. A formação de educadores ambientais. Campinas: Papirus, 2004.

GUSMÃO, O. S. et al. Reciclagem artesanal na UEFS: estratégia educacional na valorização do meio ambiente. In: CONGRESSO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE NA BAHIA, 2.,

Salvador. Anais... Salvador: UFBA, 2000. p 56-58.

IERVOLINO, S. A.; PELICIONI, M.C.F. A utilização do grupo focal como metodologia qualitativa na promoção da saúde. Rev Esc Enf USP, v. 35, n.2, p.115-21, jun, 2001.

JACOBI, P. Meio ambiente urbano e sustentabilidade: alguns elementos para a reflexão. In: CAVALCANTI, C. (Org.). Meio ambiente, desenvolvimento sustentável e políticas públicas. São Paulo: Cortez Editora, 1997.;

KITZMANN, D. I. S.; ASMUS, M. L. Do treinamento à capacitação: a inserção da educação ambiental no setor produtivo. In: RUSCHEINSKY, A. (org.). Educação ambiental: abordagens múltiplas. Porto Alegre: Artmed, 2002.

LEFÈVRE, F; LEFÈVRE A. M. C; TEIXEIRA J.J.V. O Discurso do sujeito coletivo: uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: EDUCS, 2000.

LEFF, Enrique. Saber ambiental: Sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. 1. ed. Petrópolis RJ: Vozes, 2007.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia Científica. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2004.

MINAYO, M. S. C. O desafio do conhecimento: pesquisa Qualitativa em Saúde. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Abrasco, 1995.

MORIN, E. Ciência com consciência. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2002, 268p.;

OLIVEIRA, S. L. Tratado de Metodologia Cientifica. 2.ed. São Paulo: Pioneira, 2002.

PIACENTE, F. J. Agroindústria canavieira e o sistema de gestão ambiental: o caso das usinas localizadas nas Bacias Hidrográficas dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. Dissertação (Mestrado) - IC-UNICAMP. Campinas: Unicamp, 2005.

REBELATO, M. G.; MADALENO, L. L.; RODRIGUES, A. M. Um estudo sobre a aplicabilidade do Just-in-Time na produção do etanol. Revista Produção Online, v. 12, n. 3, pp. 703-728, 2012. http://dx.doi.org/10.14488/1676-1901.v12i3.967.

REIGOTA, M. Meio ambiente e representação social. 7ed., São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, A. Educação Ambiental em Resíduos Sólidos desenvolvidos nas 4ª séries (2º ciclo) do Ensino Fundamental das Unidades Escolares Municipais de Presidente Prudente. 2006. Disponível em:

. Acesso em: 25/04/2014.

TAVARES, M. G. O.; MARTINS, E. F.; GUIMARÃES, G. M. A. A educação ambiental,

estudo e intervenção do meio, 2005. Disponível em: . Acesso em: 21/04/2014 . Artigo publicado na Revista Iberoamericana de Educación.

TAVARES, M. A Educação Ambiental, Estudo e Intervenção do Meio. Revista Iberoamericana de Educación. 2005. Disponível em: . Acesso em: 22/04/2014.

VIDAL, M. de F.; SANTOS, J. A. N.; SANTOS, M. A. Setor sucroalcooleiro no nordeste brasileiro: estruturação da cadeia produtiva, produção e mercado. Fortaleza, CE: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural, 2006.

VIEIRA, L. R. S. O Papel da Educação Ambiental nas Empresas. TEC HOJE, Uma Revista de Opinião. Disponível em: http://www.ietec.com.br/techoje/meioambiente/ Acesso em: 26/02/2014.

VIEIRA, L. R. de S., O papel da educação ambiental em empresas.

Acesso em 26/02/2014.

VITTI, G. C.; OLIVEIRA, D. B. de; QUINTINO, T. A. Micronutrientes na cultura da cana-de-açúcar. In: SEGATO, S. V. et al. (Org.). Atualização em produção de cana-de-açúcar. Piracicaba: CP 2, 2006. p. 121-138.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Valquíria do Nascimento Tavares, Inaldo Jerfson Sobreira da Silva, Maria Auxiliadora Freitas dos Santos, Adriana Aparecida Megumi Nishiwaki, Maria do Socorro Bezerra de Araújo

Revista Brasileira de Meio Ambiente | ISSN: 2595-4431

CC-BY 4.0 Revista sob Licença Creative Commons
Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn