Fatores de encalhes de tartarugas marinhas no litoral oriental do Rio Grande do Norte (Brasil)

Mariana Lima, Stella Almeida Lima, Radan Elvis Matias de Oliveira, Fernanda Löffler Niemeyer Attademo, Flávio José de Lima Silva

Resumo


DOI

R E S U M O

O Estado do Rio Grande do Norte é uma área de grande concentração e diversidade de tartarugas marinhas, no entanto os estudos referentes à distribuição, ocorrência e ameaças ainda são escassos. O diagnóstico das populações deste grupo de animais no estado pode ser uma importante ferramenta e indicador para a conservação das espécies. O presente estudo teve como objetivo identificar as ocorrências de encalhes de tartarugas marinhas no Litoral Oriental do Rio Grande do Norte, Brasil, analisando os fatores destes encalhes e as principais ameaças para as espécies de tartarugas marinhas observadas. Foram registrados 567 eventos de encalhes de tartarugas marinhas, compreendendo as cinco espécies já registradas no Brasil. Em um período de quatro anos consecutivos fora registrados encalhes de exemplares das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no país, confirmando a diversidade máxima de espécies para a porção do litoral oriental do Rio Grande do Norte. A tartaruga verde C. mydas foi a espécie com maior ocorrência nos encalhes. A interação com a pesca foi a que apresentou maior número de ocorrências. No que se refere à distribuição espacial, verificou-se que o município com maior registro de ocorrências de encalhes foi Nísia Floresta. Conclui-se que a interação com a pesca constituiu a principal causa da morte de tartarugas marinhas no Litoral Oriental do Rio Grande do Norte, afetando indivíduos de todas as faixas etárias. Desta forma, medidas mitigatórias deverão ser adotadas nos principais municípios que tiveram os maiores casos de encalhes devido à pesca.

 

Palavras-Chaves: Chelonidae, Testudines, interação antrópica.  


Palavras-chave


Chelonidae, Testudines, interação antrópica.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


ALMEIDA, A.P.L.S; SANTOS, A.J.B.; THOMÉ, J.C.A.; BELINI, C.; BAPTISTOTTE, C.; MARCOVALDI, M.A.; SANTOS, A.S &. LOPEZ-MENDILAHARSU, M.2018a.Chelonia mydas (Linnaeus, 1758). In: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Org.). Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção: Volume IV - Répteis. Brasília: ICMBio. p. 26-30.

ALMEIDA, A.P.L.S.; THOMÉ, J.C.A.; BAPTISTOTTE, C.; MARCOVALDI, M.A.; SANTOS, A.S &. LOPEZ-MENDILAHARSU, M. 2018B. Dermochelys coriacea(vandeli, 1761). In: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Org.). Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção: Volume IV - Répteis. Brasília: ICMBio. p.42-46.

ATTADEMO, F. L. N. Caracterização da pesca artesanal e interação com mamíferos marinhos na região da Costa Branca do Rio Grande do Norte. 2007. 45 f. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Rio Grande do Norte, 2007.

BUGONI, L.; KRAUSE, L.; PETRY, M.V. 2001.Marine debris and human impacts on Sea Turtles in Southern Brazil. Marine Pollution Bulletin, [S.l.], v. 42, n. 12, p. 1330-1334.

CITES. Convention on International Trade in Endangered Species of Wild Fauna and Flora, Genève, 2017.Disponível em: . Acessado em: 28 abr. 2020.

EPPERLY, S.P. 2003. Fisheries-related mortality and Turtle Excluder Devices (TEDs). In: Lutz P, Musick J, Wyneken J (eds) The biology of sea turtles, Vol II. CRC Press, Boca Raton, FL, 339–353.

FARIAS, D. S. D.; ALENCAR, A. E. B. ; BOMFIM, A. C. ; FRAGOSO, A. B. L. ; ROSSI, S. ; MOURA, G. J. B. ; GAVILAN-LEANDRO, S. A.C ; SILVA, F. J. L. .Marine Turtles Stranded in Northeastern Brazil: Composition, Spatio-Temporal Distribution, and Anthropogenic Interactions. CHELONIAN CONSERVATION AND BIOLOGY, v. 18, p. 105, 2019.

GALLO, B. M. G.; MACEDO, S.; GIFFONI, B. B.; BECKER, J. H. & BARATA, P. C. R. 2000. A Base do Projeto TAMAR-IBAMA em Ubatuba (Estado de São Paulo, Brasil): Conservação das Tartarugas Marinhas em uma Área de Alimentação. Resumo da XIII Semana Nacional de Oceanografia. Itajaí, SC, Brasil, 500-505.

HAMANN, M.; GODFREY, M. H.; SEMINOFF, J. A.; ARTHUR, K.; BARATA, P. C. R.; BJORNDAL, K. A.; BOLTEN, A. B.; BRODERICK, A. C.; CAMPBELL, L. M.; CARRERAS, C.; CASALE, P.; CHALOUPKA, M.; CHAN, S. K. F.; COYNE, M. S.; CROWDER, L. B.; DIEZ, C. E.; DUTTON, P. H.; EPPERLY, S. P.; FITZSIMMONS, N. N.; FORMIA, A.; GIRONDOT, M.; HAYS, G. C.; IJIUNN, C.; KASKA, Y.; LEWISON, R.; MORTIMER, J. A.; NICHOLS, W. J.; REINA, R. D.; SHANKER, K.; SPOTILA, J. R.; TOMÁS, J.; WALLACE, B. P.; WORK, T. M.; ZBINDEN, J.; GODLEY, B. J. Global research priorities for sea turtles: informing management and conservation in the 21st century. Endangered Species‘Research.v.11, p. 245-269, 2010.

ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. 2011. Plano de Ação Nacional para conservação das Tartarugas Marinhas. Brasília: ICMBio. 120p.

ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. 2017. Sumário Executivo do Plano de Ação Nacional para a conservação das tartarugas marinhas-Ciclo 2017-2020. Brasília: ICMBio. 8p.

ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. 2018. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Brasília: ICMBio. 4162 p.

CASTILHOS, J.C.; SILVA, A.C.C.D.; ARGOLO, J.F.; SANTOS, E.A.P.; MARCOVALDI, M.A.; SANTOS,A.S. & LOPEZ-MENDILAHARSU, M. 2018. Lepdochelys olivacea (Eschscholtz, 1829). In: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Org.). Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção: Volume IV - Répteis. Brasília: ICMBio. p.36-41.

MARCOVALDI, M.A.; LOPES, G.G.; SOARES, L.S.; SANTOS, A.J.B.; BELINI, C.; SANTOS, A.S. & LOPEZ-MENDILAHARSU, M. 2018. Eretmochelys imbricata (Linnaeus, 1766). In: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Org.). Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção: Volume IV - Répteis. Brasília: ICMBio. p. 31-36.

MARCOVALDI, M.A.; SANTOS, A.S.S. 2011. Plano de ação nacional para a conservação das Tartarugas Marinhas. Brasília: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, ICMBIO. 120p.

MARINHA DO BRASIL. 2003. Normas da autoridade marítima para amadores, embarcações de esporte e/ou recreio e para cadastramento e funcionamento das marinas, clubes e entidades desportivas náuticas - NORMAM-03/DPC.178p.Disponível

em: [Accessed online in April 2020].

MUSICK, J. A.; LIMPUS, C. J. Habitat utilization and migration in juvenile sea turtles. In: LUTZ, P.; MUSICK, J. A. (Ed.). The biology of sea turtles, CRC Flórida: Press, Boca Raton, 1997. p. 137-163.

ORAVETZ, C. A. Reducing incidental catch in fisheries. In ECKERT, K. L. et. al. (Eds.).Research and Management Techniques for the Conservation of Sea Turtles.IUCN/SSC Marine Turtle Specialist Group Publication, [S.l.], p 189-193, 1999.

PAGE-KARJIAN, A. (2019).Fibropapillomatosis in Marine Turtles. Fowler’s Zoo and Wild Animal Medicine Current Therapy, Volume 9, 398–403. doi:10.1016/b978-0-323-55228-8.00057-6

Plano de ação nacional para a conservação das Tartarugas Marinhas/ALEXSANDRO SANTANA DOS SANTOS ... [ET AL.]; ORGANIZADORES: MARIA ÂNGELA AZEVEDO GUAGNI DEI MARCOVALDI, ALEXSANDRO SANTANA DOS SANTOS. – Brasília : Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Icmbio, 2011. 120 p. : il. color. ; 21 cm. (Série Espécies Ameaçadas, 25).

REIS, E. C.; MOURA, J. F.; SICILIANO, S. Tartarugas marinhas do estado do Rio de Janeiro, Brasil: diversidade, distribuição, sazonalidade e ameaças. In: Vll JORNADA SOBRE TARTARUGAS MARINHAS DO ATLANTICO SUL OCIDENTAL, 5, 2011 - Florianópolis, Brasil.

RIBEIRO, A. B. N.; BARRETO, L.; RIBEIRO, L. E. S.; AZEVEDO, R. R. CONSERVATION ASPECTS OF SEA TURTLES IN MARANHAO ISLAND, SÃO LUIS, BRAZIL. BioscienceJournal, Uberlândia, v. 30, n. 3, p. 874-878, May/June, 2014.

RIZZI M, RODRIGUES FL, MEDEIROS L, ORTEGA I, RODRIGUES L, MONTEIRO DS, KESSLER F, PROIETTI MC. Ingestion of plastic marine litter by sea turttle in southern Brazil: abundance, characteristics and potencial selectivity. Mar. Pollut. Bull. 2019;140:536-548. SALES G, GIFFONI B.B., BARATA P.C.R. 2008. Incidental catch of sea turtles by the Brazilian pelagic longline fishery. J Mar BiolAssoc UK 88:853–864.

SANTOS, A.S.; SOARES, L.S.; MARCOVALDI, M.A.; MONTEIRO, D.S.; GIFFONI, B. & ALMEIDA, A.P.L.S. 2018. Caretta caretta (Linnaeus, 1758). In: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Org.). Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção: Volume IV - Répteis. Brasília: ICMBio. p. 20-25.

TOURINHO, P.S.; IVAR DO SUL, J.A.; FILLMANN, G. 2008. Frequência de ingestão e tipos de resíduos sólidos em tartarugas-verdes na costa do Rio Grande do Sul, Brasil: Distribuição e fragmentação no trato gastrointestinal. In Congresso Brasileiro de Oceanografia, Fortaleza/CE.

VITAL, H., 2005, Erosão e Progradação no litoral do Rio Grande do Norte, in Muehe, D., ed., Erosão e progradação do litoral brasileiro. Brasilia, Ministerio do Meio Ambiente, p.157-172.

WORK T.M. 2000. Manual de Necropsia de Tortugas Marinas para Biologos en Refugios o Areas Remotas. National Wildlife Health Center, Hawaii Field Station. 25p.

WYNEKEN, J. 2001. The Anatomy of Sea Turtles. U.S. Department of Commerce NOAA Technical Memorandum NMFS-SEFSC-470, 1-172 pp.

WYNEKEN, J.; BURKE, T.; J., MSOLOMON, M.; PEDERSEN, D. K. 1988. Egg failure in natural and relocated sea turtle nests. JournalofHerpetology, [S.l.], v.22, p.88-96.

WILCOX, C.; PUCKRIDGE, M.; SCHUYLER, Q.A.; TOWNSEND, K.; HARDESTY, B.D. A quantitative analysis linking sea turtle mortality and plastic debris ingestion. Sci. Rep. 2018;8:1-11.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais Mariana Lima

Revista Brasileira de Meio Ambiente | ISSN: 2595-4431

CC-BY 4.0 Revista sob Licença Creative Commons
Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn